maio 12, 2012

Porsche 356A no Congo Belga - 1958

Esta foto, que aparece no post anterior, agora é apresentada com seus detalhes.


Porsche 356A nº6 de Paul Frère na preparação para a largada do Rally do Lago Kivu 1958. Na câmera, Jean Wathelet, um dos organizadores do rally.
Ao fundo o prédio da revista "La Commerciale" na avenida Royale em Bukaru.
Foto tirada do livro de Paul Frère
Fonte: http://www.flickr.com/photos/pgkivu/4963340929/in/set-72157624612753219


Abaixo o livro My Life Full of Cars de Paul Frère e um trecho onde ele fala sobre este rally e o Porsche 356A.

My Life Full of Cars
Behind the wheel with the world’s top motoring journalist
Paul Frère
Haynes Publishing
ISBN: 1 85960 670 9




Em Bukaru eu encontrei meu carro, um bem cuidado Porsche 1600 com 60 HP, e meu navegador, um belga chamado Roger Beerten, que havia terminado em segundo no rally do ano anterior. O rally tinha mais de 1.130 milhas em quatro voltas pelo mesmo circuito, incluindo dois trajetos cronometrados, um de 63 milhas, o qual tinha a média imposta de 70 km/h e que exigia uma pilotagem enérgica; e outro de 17 milhas em uma estreita estrada de terra nas montanhas, com pedras por todo lado, o que era decisivo, já que a média de 75 km/h era obviamente impossível de ser mantida pelos carros inscritos.
Os principais concorrentes eram quatro Porsche 1600, um Volvo 544 de 85 HP e um rápido, mas frágil, Fiat Abarth 750.
Meu carro tinha sido bem preparado com uma proteção na parte de baixo que veio diretamente de Stuttgart; fui dar uma volta com meu co-piloto para dar uma olhada nos dois estágios especiais. Na verdade não eram os piores trechos - alguns outros, onde a velocidade média era de 50 km/h, eram tão ruins que mesmo a esta baixa velocidade seria dificil passar sem quebrar o carro.
Jornais locais me deram uma enorme publicidade, mas cinco horas depois da largada (com os carros partindo a cada cinco minutos devido à poeira), "A equipe a ser batida" já estava batida; uma pedra aparentemente quebrou um tubo de óleo e, depois de terminar a segunda volta dentro do planejado, exceto pelo "impossível" estágio especial, dois litros de óleo haviam sido perdidos e eu dirigi o carro de volta à garagem com o motor fazendo um desagradável barulho. O rally foi vencido por outro Porsche com o rápido pequeno Abarth em segundo.
Este era o entusiasmo daqueles belgas da colônia; o distribuidor VW e Porsche em Bukavu e Usumbura não só prepararam os Porsches (incluindo o meu, que era um carro de demonstração) e três Beetles sem custo; eles também deram para cada equipe cinco pneus novos e prometeram dar a cada carro uma revisão, incluindo reparos, após a prova - tudo sem custo.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário