janeiro 17, 2010

Kart em Moçambique

Karting in Mozambique

Em 1962, sul africano ganha a primeira prova de Karts na pista de atletismo do Clube Desportivo de Lourenço Marques

"O promotor de eventos desportivos Manuel Gonçalves, descobriu em Nelspruit uns machambeiros que tinham uns carros com que se divertiam nos caminhos de terra das farms e contratou 6 para virem a LM fazer uma exibição.
Na verdade os karts seriam os primitivos Kartcross agora tão em voga. Averiguei depois que em Pretoria e Johannesburg já havia clubes que tinham karts mais pequenos e para corridas em alcatrão. No entanto a exibição resultou em duas noites (de sábado e domingo) com bastante público pagante Quando foi anunciado que estava aberta a inscrição de coca-colas (e eu fui o primeiro a inscrever-me), a malta foi suficiente para na noite de sábado se correrem eliminatórias, para apurar 6 portugueses que na noite de domingo teriam uma eliminatória para apurar 3, que após uma prova dos sul-africanos, alinharam numa final". - Zé Garcia.
 
 
1962 José Garcia recebe do empresário Manuel Gonçalves, pela mão de uma bifa a taça de 2º classificado na final do encontro de karts com os sul-africanos.

"O meu sorriso era amarelo e estava desconjuntado. Fartei-me de andar, ganhei todas as eliminatórias e andar em piso de terra com uma caranguejola sem travões nem estofos no banco foi uma experiência única". - Zé Garcia.



1964 - Prova de karts, entre as bancadas e os boxes, na pista da Costa do Sol - Sílvia Garcia controlando a derrapagem.

"Após a demonstração no Desportivo, o karting explodiu em LM, graças a Serafim Martins, dos Caminhos de Ferro, que convenceu a Direcção do Ferroviário a abrir uma secção de karting e a suportar a despesa da compra de 5 karts na Àfrica do Sul. Logo depois das primeiras experiências a Escola Industrial ajudou 3 alunos a construírem karts, com peças que se compravam no Jones e na Fábrica de Tabacos Velosa, foram construídos mais 2 karts. Em 1963 realizaram-se algumas corridas, mas só em 1964 com o 1º Campeonato de Karts de Lourenço Marques, começou a verdadeira guerra de motores". - Zé Garcia.

 
9º e última prova do campeonato - Prova de 3h - Pista de saibro no campo Eng. Freitas e Costa - 6/12/64

"Realizada anteriormente uma prova nocturna no campo Eng. Freitas e Costa, o Ferroviário cedeu o campo para uma corrida de 3 horas que foi disputada de dia com muita poeira e que deixou o campo do Ferroviário totalmente esburacado. Ganhei a prova, dei 213 voltas, o 2º classificado 202 voltas.Andei rápido mas a vitória foi dos meus 2 filhos que tinham treinado a assistência dos boxes com cronometro na mão. Ainda tenho bem amarelada, a reportagem do Alves Maciel". - Zé Garcia.



Lourenço Marques - 5/09/65 - Kart desenhado e construído por José Garcia

"Depois de ter visto os karts dos sul-africanos do Kibla kart club de JHB, na maioria chassis italianos Tecno, flexiveis devido ao desenho e à qualidade do tubo aço e com potentíssimos motores Parilla 100 cc , os karts do Ferroviário com os velhos motores Clinton já estavam ultrapassados, mesmo em confronto com outros karts locais. Por os chassis italianos terem um prêço exorbitante, resolvi construir um, mas por não conseguir comprar tubo de aço Reynolds nem soldador que fizesse soldadura mic/mac, acabei por desenhar e construir um chassi rígido, mais estável que os dos CFM e montei-lhe um motor de kart Garelli 100 c.c.". - Zé Garcia




  
Silvia Garcia (esposa de José Garcia) - Autódromo de Lourenço Marques - 26/12/65

"Durante o ano de 1966, das provas que houve não tenho fotos e eu e a minha Sílvia juntámos mais umas taças á colecção. No entanto em Dezembro de 66 a minha maneira de encarar os karts, mudou. O Pretoria Kart Club, convidou-me a ir assistir á final do campeonato de superkart no autódromo de Khyalami. O que eu vi foi aterrador. Os sul-africanos afirmavam que os tempos deles no autódromo era só 7 segundos mais lento que o record da pista do então campeão John Love. Karts do tamanho e com rodas iguais aos nossos, mas fechados e com motores de competição de motos de 250c.c. que voavam na descida da recta da meta a mais de 200 kms./h. No fim da prova experimentei dar uma volta e a partir daí não brinquei mais a corredor de karts". - Zé Garcia


  
Edifício da Fazenda - Silvia Garcia (centro) vencedora


  

Vitor Coelho ?





Autódromo de Lourenço Marques - José Garcia no kart #21



Anos 70 - pista junto ao Zambi - (piloto ?)



Fotos e comentários originalmente publicados em Xirico
Gentilmente cedidos por José Garcia e Joca Garcia.
Obrigado, Zé & Joca !


_____________________________________________




 
Kartódromo de Maputo - 2010


Um comentário:

  1. Pena que hoje em dia, um certo " senhor ", que de senhor nada tem, esta a destruir tudo de bom que o desporto motorizado já teve em Moçambique. Essa pessoa pensa ser dono e patrão do desporto motorizado. Pena que não se faz nada para modificar esta situação que só prejudica os pilotos nacionais.

    ResponderExcluir